sexta-feira, 27 de abril de 2012

Tudo que eu diga [Leminskizo]

Sozinho n'inverso
provid'e atento
qu'a tarde cochila

vai vir o dia
quando tudo que eu seja
caiba na mochila

Por Rodrigo Francisco Barbosa

quinta-feira, 26 de abril de 2012

terça-feira, 24 de abril de 2012

O toque

achei qu'éra tutiscrem
e meu dedo matou
na tel'escrevi'o nome:
fodeu-s'em toque a formiguinha.

Por Rodrigo Francisco Barbosa

segunda-feira, 23 de abril de 2012

quarta-feira, 18 de abril de 2012

domingo, 15 de abril de 2012

Vou tentar explicar

É nesse período que me sinto disposto a novos projetos, direcionados ao conhecimento e aprimoramento, sobretudo, pela importante evolução da minha própria história.
Minha sucessão de erros, convém, justamente, da interpretação minada de significações que influenciam idéias a analisar e refletir sobre o contexto referido.
Portanto, dar continuidade à este blog, faz com que eu remova a ignorância suspensa onde não consigo observá-la. E transformá-lo em um selo de distribuição de propaganda alternativa, faz com que eu aprimore o momento exigido sobre mim e o transforme em um trabalho de pretensão de contextualização dentro da relação pessoas e sociedade.
O conhecimento adquirido com tudo isso, por meio deste trabalho, representa pra mim, a melhor ferramenta de atuação entre os ensaios provisórios da vida.
¿Entendeu?

quinta-feira, 12 de abril de 2012

segunda-feira, 9 de abril de 2012

quinta-feira, 5 de abril de 2012

terça-feira, 3 de abril de 2012

No mar indefinido da p'lavra

No fundo é outro,
Algum, nenhum, pois todos.
Qu'igual a algo nem chega à sê um.

Por Rodrigo Francisco Barbosa

Sonhei que escrevia esta frase esta noite

Eu observo a primeira observação.
E o filósofo disse novamente:
"Perceber que indizivelmente mais importa como as coisas se chamam, do que o que elas são."

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Punk Primata, Capitalismo Selvagem

E um filósofo disse:
"Não podemos decidir se aquilo que denominamos verdade é verdadeiramente verdade ou se apenas nos parece assim. Se é este último, então a verdade que juntamos aqui não é mais nada depois da morte e todo esforço para adquirir um bem que nos siga até mesmo no túmulo é vão."