quarta-feira, 30 de junho de 2010

Keep on moving

Fazer parte de um espaço onde pessoas se entrecruzam dentro de uma política social constante, me faz observar a maneira com que empregam suas ideologias através de figuras de caráter importante determinado por um conjunto de seguidores.
A todo momento somos vigiados por figuras estampadas que surgem sobre formas emblemáticas radiando ideais subversivos.
Cabelos e penteados que regem conceitos mal identificados por aqueles que se expõem como representantes de uma compreensão revolucionária.
Hoje, já não sei mais o que move impulsos e paixões sobre posições de interesses para soluções de certos problemas sociais.
Só sei que os "dreads" já não compreendem mais sua figura paterna.

sábado, 26 de junho de 2010

Chek it out

Meu primeiro contato com o universo dos livros foi uma batalha da qual venci minha ignorância.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Estou aqui!

Logo que vim para Curitiba, tudo me parecia misterioso e desconhecido.
Certo dia, em uma rua movimentada do centro velho, na esquina de uma praça muito conhecida, falava ao celular quando de surpresa fui abordado por dois rapazes que se mostravam insistentes em me assaltar.
Dialogar foi a primeira das intenções, correr a segunda e pedir socorro daí por diante.
Escolhida a primeira opção, eles não concordaram muito. Me agarraram e com certa brutalidade e força me atiraram ao chão.
Cambaleando e com os batimentos acelerados consegui escapar e apressadamente atravessei a rua na frente dos carros.
Já do outro lado da calçada pude perceber que desistiram de me seguir e sumiram na multidão.
Com algumas escoriações e sangrando um pouco parei e sorri, pois nada me levaram.
Assim dava-se por encerrado o espetáculo violento do cotidiano.
Me limpei e fui trabalhar. Pois as horas continuavam a correr com obediência.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Pôr-se em fuga do analfabetismo funcional

Criatividade na atividade é necessário para cooptar e abordar novos registros para uma identificação dentro dos novos percursos das funções diárias.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

terça-feira, 22 de junho de 2010

Mão no bolso que o frio aqui é osso.

É no frio que se tem o maior quadro patológico com sintomologia dolorosa em músculos e articulações.
Mas é no frio apático de um corpo que funciona segundo o ritmo circadiano, que se constrói consequente períodos de luz e escuridão.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

O violento sentimento

Não quero fazer deste blog um relato completo do que sucede entre o amanhecer e o anoitecer.
Por ser um grande apreciador da escrita romântica, apenas descreverei aqui, algumas impressões através de palavras.
Ou nada mais será dito?

O escritor cessou de viver

Será que se Fernando Pessoa estivesse vivo hoje (18/06/2010) escrevria O dia da morte de José Saramago?

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Sem pragmatismo

Quero que minhas palavras circulem para aliviar minh'alma.

Pausa para os comportamentos explicativos.

Expressar-me sobre antigas funções, é claro, sobre as quais o tempo tem influência determinante e de certa forma tenha regido significativa mudança em meus comportamentos, linguagem e características próprias de minhas ações, poderia explicar exatamente as mudanças decorrente aos antigos costumes.
Algumas observações causariam maior impacto sobre sentimentos de afeições. Mais do que isso, dissertaria sobre essas deficiências, apontando a causa maior em não desenvolver mais algumas atividades das quais me ligavam a coletivos representativos.
Tornei-me dissidente por encarar os fatos que hoje considero parte de minha vida única e os priorizo como verdadeiros estímulos para um conjunto de propriedades das quais me interesso mais.
Sinto-me livre para consentir fatos e circunstâncias que atribuem importância significativa em minhas ações. É para elas que hoje vivo.
Não me afastei de determinados comportamentos e funções, apenas os modifiquei.
A afetuosidade com aquilo que se vive pode transformar e modificar pensamentos que há muito atravancava decisões individuais.
Minha liberdade é compartilhada com aqueles que por ventura (felicidade) favorecem minha satisfação.