sexta-feira, 30 de maio de 2014

Pretérito do futuro no passado do presente

A dinâmica de resgatar acontecimentos e sua relação com a verdade e seu exercício, de certa forma, reduz nossa capacidade de desejar o novo.
Assim, imóvel, concebemos a atrofia da qualidade em potencial.
Pois o filósofo já foi límpido: não há instância alguma acima da capacidade de decisão.

sábado, 17 de maio de 2014

A capacidade de viver a dor e representá-la conscientemente

Do ponto de vista corporal, a dor é tão transtornadora que o rastro de sua passagem fica extremamente sensível a novas excitações ou novos investimentos.
Pois ela é um afeto desagradável, conduzida pela expressão na consciência das variações ritmadas das pulsões.
Dito isso, em resumo, cada um sofre à sua maneira, qualquer que seja o motivo de sua dor.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

quarta-feira, 14 de maio de 2014

A paixão da sua vida

"Amava a morte. Mas não era correspondido.
Tomou veneno. Atirou-se de pontes. Aspirou gás. Sempre ela o rejeitava, recusando-lhe o abraço.
Quando finalmente desistiu da paixão entregando-se à vida, a morte, enciumada, estourou-lhe o coração."

*trecho retirado do livro "Contos de amor rasgados, de Marina Colasanti"

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Viver é uma amálgama de dor e alívio

Eram quase duas da manhã quando consegui me deitar e assim tentar por meus pensamentos em ordem. Refletir sobre tudo o que acabara de ver e escutar.
Quanto mais pensava, menos conseguia compreender.

terça-feira, 6 de maio de 2014

Caminho híbrido

Quando nos deparamos algo já estava superado em termos de medo.
O sono não vinha, talvez por causa da viagem. Não é porque eu estava empolgado com isso.
Enquanto esses pensamentos são postos em palavras você divide a mesma solidão que sinto pelo que me motiva.